folclore brasileiro

A cultura que vive na brincadeira, sobre o livro O Saci

No post anterior, a Camilla Saloto falou um pouquinho sobre o livro “O Saci: uma história do folclore brasileiro”. Ela disse que ele não está pronto! Sim, a gente tem que brincar com o livro, criar histórias, recortar, colorir, brincar de teatrinho, pra fazer o livro ganhar sentido. Legal, não é?!

Hoje aconteceu lá no meu perfil do Instagram uma live com as três envolvidas no projeto que leva meu nome: a Camilla, a Kelly Abreu e a Fabiana Pedroni.

Agora vou trazer pra vocês um pouquinho de como a tia Fabiana entrou na brincadeira do projeto:

“Ah, Keca, eu entrei no projeto como a gente entra na cozinha da avó! Devagarinho, pegando uns biscoitinhos aqui, outro ali, e quando vi, já estava aprendendo a fazer bolo! Desde o começo do projeto, eu já sabia que ele existia, conversava muito com Camilla sobre ele, porque ela é minha amiga de infância ❤ Mas, eu não estava oficialmente no projeto, só, conversava sobre e acompanhava lá pelo instagram. Foi ótimo te conhecer, Keca!

Aí, quando Camilla e Kelly disseram que estavam trabalhando no livro, eu me ofereci para revisá-lo. Como se trata de um trabalho independente, toda ajuda, todo feedback e carinho é importante. Eu comecei como revisora do texto escrito pela Camilla. E que poesia linda! Depois, eu vi a montagem inicial do livro com as ilustrações, e aí não teve jeito, já estava no projeto! Eu estudo livros e ilustrações infantis. Nessa análise do material, começaram tantas trocas, que o projeto me cativou por completo.

Foi assim que virei a revisora, editora do livro, e também revisora aqui do blog. Como não consegui ficar quieta com minha felicidade em estar no projeto, escrevi o texto de apresentação que abre o livro aos leitores.

E esse é um ponto importante que eu queria comentar e não deu tempo na live de lançamento do livro: o projeto ‘Uai, Keca?’ lança a gente em uma série de desdobramentos porque a gente se envolve e se conecta com a proposta. Quando vejo seus posts no Instagram, Keca, eu fico pensando o quanto a cultura brasileira é importante no meu dia a dia. Às vezes a gente acredita que não, a isola num cantinho, sem conexão, deixa os causos e o folclore como algo externo, para se apreendido em um momento único. Não é assim que percebo a cultura e isso o projeto deixa muito claro em sua proposta: a cultura (as culturas) é pra ser vivida!

O livro O Saci não vai contar uma história do Saci, apenas. Nem vai trazer figurinhas para serem coloridas, apenas. Texto e imagem precisam de interação, precisam da gente, da nossa fala, do nosso riso, da brincadeira. É aí que a cultura se torna parte de nossa vivência e você, Keca, se torna ainda mais viva!”

 

Obrigada tia Fabi! Vocês querem saber mais sobre o livro e sobre o projeto? Me acompanhem aqui no Blog e lá no Instagram!

folclore brasileiro

Keca Entrevista – Saci

Saci, o amigo da onça! Uma entrevista

Keca: Eu não tenho nem roupa para receber o convidado da minha primeira entrevista! Mas tia @kellyabreuilustra fez uma mágica e, plim, estou de bruxinha. Agora sim! Bem-vindos ao primeiro Keca Entrevista! E meu primeiro convidado é uma excelente representação do que é ser brasileiro. Uma lenda indígena que ganha forma e corpo através da herança cultural europeia e africana (Obrigada tia @cami_causos por me ajudar com essas palavras complicadas😅). Sem mais enrolação, eu falo é do Saci!!!

Saci, seja bem-vindo. Espero que você não se importe por eu estar vestida de bruxinha, mas sabe como é, né? Outubro também é o mês do Halloween. 😬

Saci: Olá, Keca, oi, pessoal. Então, eu não me importo, não. Aliás, eu nasci há tanto tempo, mas tanto tempo, que nem calendário tinha ainda, eu nunca tive uma data de aniversário assim como meus amigos e colegas de folclore também não.  Aí um dia, uns homens brancos aí ficaram de implicância com o Dia das Bruxas e resolveram fazer uma lei para eu ter um dia meu, e escolheram logo o dia das bruxas. Quero aproveitar o espaço para deixar claro para minhas colegas bruxas, elas que vem aí de histórias de outros países mundo afora, que eu não tenho nada a ver com isso. Eu gosto das bruxas, elas são divertidas! Continue lendo “Keca Entrevista – Saci”