Allgemein

Texto e imagem brincam no livro

Por Fabiana Pedroni

Me diga, quem é o autor do livro que está a ler?

Você, possivelmente, não terá dúvidas, dirá que é o escritor. Mas, e se tiver em mãos um livro-imagem, um álbum composto somente por imagens? Então, o autor é o ilustrador. Mas, e se for um livro ilustrado, quem é o autor, o escritor ou o ilustrador?

Estas perguntas não são inocentes. A confusão é tão extensa quanto a história do livro. Em manuscritos medievais, o texto precedia a imagem. Aquele que fazia o texto, demarcava onde a imagem estaria inserida. Por mais complexo que fosse o papel da imagem medieval, muitas vezes, a imagem era percebida como subordinada ao texto, mesmo que não o fosse. Essa herança de aparente subordinação nos influencia até hoje!

Quando falamos de livros infantis, livros que guardam qualidade de discurso entre texto e imagem, a autoria pode se tornar um dado burocrático. Escritor e ilustrador trabalham cada um em sua linguagem, mas, o resultado é tão harmônico, que não temos a prevalência de um sobre o outro.

Dessa forma, as ilustrações aparecem como uma linguagem visual que dialoga de diferentes formas com a linguagem verbal. A ilustração pode apresentar personagens, já desde a capa; pode compor a personalidade de um personagem; pode explicar o texto, frisar passagens; pode ir além do texto, propor novas narrativas; pode brincar com o texto, e até mesmo ignorá-lo!

Há uma infinidade de papeis da ilustração em um livro: função narrativa, de apresentação, de cena, de contextualização, de criar empatia com o leitor… Sim, muitas vezes é pela ilustração que o leitor se conecta afetivamente com um livro. Pode ser pela caracterização de um personagem, no modo como ele se articula pela página, ou até mesmo um detalhe, um brinquedo que o personagem carrega para todo lado e que você tinha quando era criança.

No livro “O Saci: uma história do folclore brasileiro”, você reparou no seguinte diálogo?

Desenho de um tamanduá com o nariz no formigueiro para colorir
Ilustração no livro O Saci

“Cada figura possui uma linha de recorte. Essas linhas são como formigas guias, mostram um caminho, mas você pode trilhar outros!” (texto de apresentação do livro O Saci)

“O texto a seguir é também trabalho de formiga. Juntas as palavras formam uma narrativa que é só o começo.” (texto de apresentação do livro O Saci)

As formigas, na ilustração do tamanduá, aparecem também como referência no texto de apresentação: são as formigas que guiam a tesoura do leitor ou metáfora para construção colaborativa, como num grande formigueiro!

Um livro é um todo e a ilustração, quando presente, tem papeis específicos que vai depender desse todo.

E aí, sobre este livro que você está lendo, como funcionam as imagens? Volte nelas e pense um pouquinho sobre como ela se encontra ou desencontra do texto e do restante do livro, depois conta pra gente! ❤ 🐜

folclore brasileiro, Livros infantis

O papel da ilustração no livro O Saci

Desenho de um tamanduá com o nariz no formigueiro para colorir
Sabem que bicho é esse? Conta nos comentários!

Oi pessoal! Hoje eu quero conversar com vocês sobre como os desenhos são tão importantes para nós crianças. Mesmo os desenhos nos livros. No livro “Alice no país das Maravilhas”, a Alice reclama logo no começo que o livro que ela estava lendo não tinha desenhos. E que chato um livro sem desenhos, não é mesmo? Eu concordo muito com a Alice. Mas vocês já pararam para pensar que muitas vezes a gente não presta atenção na importância que um desenho tem para um livro? Agora eu pergunto a você: Você sabe o nome do autor do livro predileto da sua criança? E você sabe o nome do ilustrador? Pois bem, essa é uma questão a se levar muito em consideração. O trabalho do ilustrador é muito importante também.

Desenho de uma moitinha com flores e um beija-flor
Olhem só o detalhe desse beija-flor, que fofuraaaa!!!!

Por isso se tem algo de legal no livro do Saci, é que a gente pode brincar de ser ilustrador também! A tia Kelly preparou não apenas os bonequinhos de fantoches de dedo, como vários elementos de cenário, como bichinhos, moitas, o fundo floresta, além dos personagens, que claro, são encantadores. A gente pode colorir, pode até fazer colagem, mosaico… A gente pode deixar a imaginação solta. Acho que vou começar a testar algumas coisas com meu livro aqui. Inclusive, tem também uma parte do livro onde podemos contar nossa própria história através de desenhos. Então eu espero que vocês soltem a imaginação de vocês e se divirtam com o livrinho tanto quanto eu estou me divertindo!