Allgemein

Texto e imagem brincam no livro

Por Fabiana Pedroni

Me diga, quem é o autor do livro que está a ler?

Você, possivelmente, não terá dúvidas, dirá que é o escritor. Mas, e se tiver em mãos um livro-imagem, um álbum composto somente por imagens? Então, o autor é o ilustrador. Mas, e se for um livro ilustrado, quem é o autor, o escritor ou o ilustrador?

Estas perguntas não são inocentes. A confusão é tão extensa quanto a história do livro. Em manuscritos medievais, o texto precedia a imagem. Aquele que fazia o texto, demarcava onde a imagem estaria inserida. Por mais complexo que fosse o papel da imagem medieval, muitas vezes, a imagem era percebida como subordinada ao texto, mesmo que não o fosse. Essa herança de aparente subordinação nos influencia até hoje!

Quando falamos de livros infantis, livros que guardam qualidade de discurso entre texto e imagem, a autoria pode se tornar um dado burocrático. Escritor e ilustrador trabalham cada um em sua linguagem, mas, o resultado é tão harmônico, que não temos a prevalência de um sobre o outro.

Dessa forma, as ilustrações aparecem como uma linguagem visual que dialoga de diferentes formas com a linguagem verbal. A ilustração pode apresentar personagens, já desde a capa; pode compor a personalidade de um personagem; pode explicar o texto, frisar passagens; pode ir além do texto, propor novas narrativas; pode brincar com o texto, e até mesmo ignorá-lo!

Há uma infinidade de papeis da ilustração em um livro: função narrativa, de apresentação, de cena, de contextualização, de criar empatia com o leitor… Sim, muitas vezes é pela ilustração que o leitor se conecta afetivamente com um livro. Pode ser pela caracterização de um personagem, no modo como ele se articula pela página, ou até mesmo um detalhe, um brinquedo que o personagem carrega para todo lado e que você tinha quando era criança.

No livro “O Saci: uma história do folclore brasileiro”, você reparou no seguinte diálogo?

Desenho de um tamanduá com o nariz no formigueiro para colorir
Ilustração no livro O Saci

“Cada figura possui uma linha de recorte. Essas linhas são como formigas guias, mostram um caminho, mas você pode trilhar outros!” (texto de apresentação do livro O Saci)

“O texto a seguir é também trabalho de formiga. Juntas as palavras formam uma narrativa que é só o começo.” (texto de apresentação do livro O Saci)

As formigas, na ilustração do tamanduá, aparecem também como referência no texto de apresentação: são as formigas que guiam a tesoura do leitor ou metáfora para construção colaborativa, como num grande formigueiro!

Um livro é um todo e a ilustração, quando presente, tem papeis específicos que vai depender desse todo.

E aí, sobre este livro que você está lendo, como funcionam as imagens? Volte nelas e pense um pouquinho sobre como ela se encontra ou desencontra do texto e do restante do livro, depois conta pra gente! ❤ 🐜

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s